fbpx

10 de novembro: Dia Mundial do Ceratocone

Desde 2016, data é usada para lembrar a importância da prevenção e diagnóstico precoce do ceratocone.
homem com ceratocone

Você sabia que existe um dia específico para lembrar a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do ceratocone? Isso mesmo: 10 de novembro foi a data escolhida, em 2016, pela National Keratoconus Foundation (NKCF), fundação da Universidade da Califórnia.

Muito mais do que apenas uma data comemorativa, no dia 10 de novembro de cada ano profissionais da saúde, pesquisadores e público em geral se reúnem para discutir o impacto do ceratocone na vida das pessoas e promover a conscientização.

Para que você conheça melhor o ceratocone, o Donato Hospital de Olhos se junta à esta causa tão importante e traz um artigo completo com dados sobre a doença, mitos comuns, importância do diagnóstico precoce e tratamentos disponíveis atualmente. Boa leitura!

Dados oficiais sobre o ceratocone

O ceratocone é considerado uma doença rara – estima-se que em um grupo de 100 mil pessoas, entre 4 e 600 indivíduos possam vir a desenvolver a enfermidade. Em porcentagem, esse número representa entre 0,004% e 0,6% do total.

Conforme dados divulgados pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia, membros da mesma família têm mais chances de desenvolver o ceratocone (entre 6% e 8% dos casos). Contudo, nem todos os descendentes de uma pessoa com a enfermidade irão necessariamente desenvolver a doença.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Ceratocone, entidade que reúne especialistas na área, a maior parte dos cerca de 13 mil transplantes de córnea realizados anualmente no Brasil são para atender indivíduos com ceratocone.

4 mitos e verdades sobre ceratocone

Com certeza você já deve ter lido e ouvido falar muito sobre o ceratocone. Contudo, é preciso cuidado ao analisar as informações que recebe, pois nem tudo que está por aí é verdade. Confira, agora, 4 mitos e verdades comuns sobre o ceratocone:

1. Não preciso fazer tratamento, pois o ceratocone vai desaparecer com o tempo.

Esse é um grande mito. O ceratocone não vai melhorar sozinho com o passar do tempo. O que pode acontecer é a doença estabilizar, o que ocorre, geralmente, perto dos 35 anos. É preciso sim fazer tratamento para corrigir a visão.

2. O ceratocone causa perda total da visão.

Essa informação é mito, mas com um fundo de verdade. Olha só: o ceratocone é uma doença progressiva, ou seja, que vai piorando com o passar do tempo. Entretanto, não é possível afirmar que ter a doença é um fator determinante para a perda da visão. É necessário realizar tratamento para contê-la em seus diferentes estágios.

3. Coçar os olhos agrava o ceratocone.

Verdade. Quando você coça os olhos, está aplicando uma pressão contínua na córnea. Essa ação contribui para que ela fique mais fina e, consequentemente, o ceratocone fique pior.

4. O único tratamento para o ceratocone é o transplante de córnea.

Mito. O transplante de córnea é indicado apenas em casos avançados de ceratocone, principalmente quando há perda de alguma parte da visão.

Importância do diagnóstico precoce

Por não se conhecer exatamente qual a causa exata do ceratocone, não existem, ainda, informações sobre a prevenção. O que se sabe é que duas ações contribuem significativamente para o controle da doença: não coçar os olhos e visitar o oftalmologista regularmente.

O diagnóstico precoce é a melhor forma de saber se você é portador do ceratocone e, em caso positivo, tratá-lo da melhor forma possível para evitar a progressão.

A predisposição genética é vista como uma das causas do ceratocone, mas não é possível afirmar que todas as pessoas que possuem familiares com a doença também terão, e nem que se você não tem esse problema na família ele nunca aparecerá. Por isso, visite o oftalmologista regularmente.

Tratamentos para o ceratocone

Logo que diagnosticado, o uso de óculos de grau e lentes de contato rígidas pode ajudar o portador de ceratocone a enxergar melhor. Contudo, isso não é um tratamento. Existem, atualmente, duas possíveis formas de tratar o ceratocone. São elas:

  • Crosslinking: este procedimento consiste em raspar a superfície da córnea e aplicar um colírio à base de vitamina B2 e um feixe de luz violeta. A córnea fica mais rígida e é possível estabilizar a doença em até 90% dos casos;
  • Anel de Ferrara: é feito o implante de um anel de acrílico para remodelar a córnea e o paciente poder enxergar melhor.

O transplante de córnea é também uma forma de tratamento, porém indicada apenas em estágios avançados da doença.

Agende uma consulta

O diagnóstico precoce é a melhor forma de cuidar da saúde dos seus olhos e prevenir o desenvolvimento do ceratocone. Marque agora mesmo uma consulta com os especialistas do Donato Hospital de Olhos!

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email