fbpx

O que é toxoplasmose ocular?

A toxoplasmose ocular é uma doença infecciosa crônica e recidivante que pode provocar danos oculares.
TOXOPLASMOSE OCULAR

Também chamada de doença do gato, a toxoplasmose ocular é uma patologia causada pelo protozoário Toxoplasma gondii. Esse parasita vive no intestino de felinos, por isso é encontrado principalmente em fezes de gato, sendo ele o hospedeiro definitivo. Os roedores, os pássaros, os animais domésticos e o homem são hospedeiros intermediários.

A toxoplasmose é uma doença infecciosa crônica e recidivante que pode provocar danos em diversas partes do nosso organismo e não apenas nos olhos. Portanto, assim que aparecem os primeiros sinais e sintomas, é preciso recorrer ao oftalmologista. A toxoplasmose ocular provoca uma ou várias lesões (cicatrizes) na retina, associada ou não à vitrite e, por vezes, com uveíte. A retina é a estrutura que capta as imagens e as transmite ao cérebro através do nervo óptico.

Quanto maiores forem as lesões provocadas pela toxoplasmose, mais comprometida estará a visão podendo até, em alguns casos, a cegar. Esta patologia pode provocar lesões em um olho (unilateral) ou nos dois olhos.

Quais são as causas da toxoplasmose ocular?

• infecção congênita (ocorre na gravidez, os fetos são contaminados na barriga da progenitora/mãe) por transmissão placentária;
• infeção adquirida, nesta situação a infecção pelo parasita “toxoplasma gondii” é provocada pelo consumo de alimentos mal cozidos, vegetais mal lavados, consumo de água contaminada, ovos crus, leite não pasteurizado, etc (via digestiva);
• por inoculação cutânea, por transfusão sanguínea ou por transplante de órgão.

Na maioria dos casos a toxoplasmose ocular tem como causa a infecção adquirida, sendo a infeção congênita a menos frequente, mas com reativações tardias na maior parte dos casos.

A toxoplasmose ocular é, na maioria das vezes, diagnosticada em recém-nascidos, crianças, grávidas e em pacientes imunodeprimidos (doentes com HIV, doentes submetidos a quimioterapia, entre outros). As lesões oculares podem ser agudas ou cicatriciais.

Infecção congênita

Infelizmente, a toxoplasmose pode ser congênita, ou seja, constar no organismo do indivíduo desde o nascimento. Isso acontece quando a mãe adquire a doença durante a gestação, não se trata e, consequentemente, passa para o bebê através da placenta.

O recém -nascido pode apresentar diversos sintomas, dependendo do período da gravidez em que a mãe foi contaminada:

• nunca ficar doente pela toxoplasmose;
• parecer saudável, mas apresentar sintomas graves depois de um tempo, como convulsões, incapacidade intelectual e coriorretinite;
• apresentar defeitos congênitos, como microcefalia;
• ficar gravemente doente;
• falecer antes ou logo depois de nascer.

Quais são os sintomas?

Na toxoplasmose ocular os sintomas dependem da localização, do tamanho, do número das lesões e da intensidade da vitreíte (inflamação do vítreo) associada às formas agudas. A sua localização mais frequente é na retina

Em algumas fases da doença pode ser assintomática, noutros casos, pode verificar-se os seguintes sinais e sintomas:
• Diminuição da visão ou visão turva;
• Fotofobia (sensibilidade à luz);
• Dor ocular;
• Corpos flutuantes (“moscas volantes”);
• Dismetamorfopsias (alteração nas formas).

Podem surgir complicações como, por exemplo, uma grave inflamação vítrea ou descolamento da retina, comprometimento dos nervos ópticos (neurite ótica ou papilite), retinites, neurorretinites, e pseudorretinites, pressão intra ocular elevada (glaucoma), catarata e atrofia óptica.

As lesões da toxoplasmose posterior da retina e da coróide podem provocar uveítes posteriores. As lesões na parte anterior da retina provocam uveítes anteriores.

Outros sintomas, como febre baixa, mal estar, amigdalite, inflamação dos gânglios (atrás das orelhas e da cabeça) e lesões cerebrais (mais frequente em crianças) podem também estar presentes.

Como é o diagnóstico da toxoplasmose ocular?

Comumente, o oftalmologista faz um mapeamento da retina (avaliação do fundo do olho). O diagnóstico baseia-se, sobretudo, no achado de uma lesão patognomônica (lesão aguda satélite de lesão cicatricial).

Caso haja necessidade, existem os exames complementares, que são essenciais na ajuda do diagnóstico da toxoplasmose ocular e possíveis lesões. A angiofluoresceinografia, a indocianina verde (ICG), tomografia de coerência ótica (OCT) e a ultra-sonografia são alguns destes exames, assim como exames de sangue que detectam anticorpos (Ig G e Ig M).

Tem cura?

A toxoplasmose ocular tem cura quando a doença é diagnosticada precocemente e é tratada de forma adequada. Em muitos casos, no entanto e apesar de se efetuarem os procedimentos médicos adequados, a toxoplasmose ocular pode voltar a manifestar-se e vai deixando sequelas na vista.

Desta forma, não se pode dizer que exista uma cura definitiva para lesões já existentes (quando a doença já provocou lesões oculares irreversíveis).

Como se prevenir da toxoplasmose ocular?

• se você estiver grávida, realize periodicamente exames sorológicos para toxoplasmose.
• lave as mãos constantemente, principalmente antes de comer e ao cozinhar;
• use luvas e água sanitária para limpar a caixa de areia dos gatos;
• lave bem frutas, legumes e verduras antes de ingeri-los;
• evite comer em lugares pouco confiáveis;
• não beba água que não seja tratada;
• consuma carnes sempre muito bem cozidas.

Percebeu algo estranho nos olhos? Tem contato frequente com gatos? Se você tem suspeita de toxoplasmose ocular, marque sua consulta com o Donato Hospital de Olhos.

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nosso website e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo site, você autoriza o Donato Hospital de Olhos coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.