fbpx

Alergia nos olhos: O que você precisa saber

garoto com alergia nos olhos

Pálpebras inchadas, lacrimejamento, coceira, sensibilidade à luz, presença de secreção e vermelhidão. Sintomas que, na região dos olhos, podem ser indicativos de alergia.

Sim, isso mesmo. Existe também a alergia nos olhos, entre outros tipos de alergia mais frequentes. Ela atinge justamente a conjuntiva, membrana que reveste a parte do olho que fica exposta ao ambiente externo.

Sendo assim, a alergia nos olhos é um tipo de conjuntivite – ainda que não contagiosa, é bom lembrar. Mas por que ela acontece? Como fazer para se prevenir? Existe tratamento?

Dúvidas sobre alergia nos olhos que serão respondidas ao longo do texto. Portanto, boa leitura e aproveite para começar a adotar os cuidados recomendados no seu dia a dia!

O que é uma alergia?

Toda e qualquer alergia é, na verdade, uma resposta exagerada do sistema imunológico, responsável pela defesa do organismo diante de agentes externos (neste contexto, chamados de alérgenos).

Ou seja, alérgeno é o nome dado para a substância que pode entrar em contato com o organismo pelas vias aéreas, pela pele ou até por ingestão alimentar. A partir daí, o corpo começa a atacar a si mesmo, desencadeando os mais variados sintomas.

É bastante comum que uma pessoa tenha alergia a algo que outras não têm – inclusive, dentro da mesma família. Até hoje a ciência não sabe explicar por completo a causa de muitas alergias e até mesmo fatores emocionais já foram apontados como responsáveis.

O que pode desencadear a alergia nos olhos?

A alergia nos olhos pode ser disparada pelo contato com diferentes tipos de alérgenos:

Poeira

Ambientes empoeirados são sempre um risco para diferentes tipos de alergia. Tudo porque ali se encontram os ácaros, seres microscópicos que podem aparecer aos milhares e fazer um considerável estrago.

Da mesma forma atua o mofo (ou bolor), formação de fungos igualmente invisíveis a olho nu, mais presentes em locais úmidos e escuros.

Portanto, trate de abrir as janelas e arejar os ambientes que frequenta, principalmente no inverno, por conta do clima seco. Outra boa dica é lavar regularmente a roupa de cama, tapetes e cortinas – de preferência, deixando-os secar ao sol.

E toda atenção é pouca com aquela peça de roupa que ficou confinada por meses e meses no guarda-roupa, um ambiente propício para os alérgenos.

Poluição e pólen

Quem mora nas grandes cidades talvez nem imagine o quanto o ar pode estar contaminado pela poluição dos escapamentos dos veículos e das chaminés das indústrias. Vagando a esmo, estão várias substâncias geradoras de alergia nos olhos.

E tem gente que é alérgica também ao pólen, expelido pelas flores em seu processo de reprodução. Para quadros assim, a primavera costuma ser um período crítico.

Uma boa forma de se proteger contra a poluição e o pólen é fazendo uso de óculos escuros quando estiver ao ar livre. O acessório é um artigo de moda, porém, acaba sendo bem útil em outras situações.

Maquiagem

Produtos de maquiagem ficam em contato direto com o rosto e a região dos olhos, tornando-se um fator de risco. Atenção especial para cílios postiços e pigmentação, pois podem trazer outras complicações além de alergia nos olhos.

Portanto, dê preferência para as marcas que oferecem artigos hipoalergênicos (com menor número de substâncias consideradas alérgenas). Outra recomendação é ficar de olho também na data de vencimento.

Tenha muito cuidado também com os pincéis e acessórios. Lave-os a cada 15 dias e mantenha-os onde não haja acúmulo de poeira e mofo.

Pelos de animais

Animais de estimação, sobretudo cães e gatos, são uma ótima companhia. Infelizmente, existem pessoas que apresentam alergia aos seus pêlos, que caem aos montes pela casa.

Aliás, não são exatamente os pêlos os responsáveis pelo problema, mas sim uma proteína expelida pelos pets – e que está presente também na saliva e na urina.

Se os pêlos são a causa da alergia nos olhos, convém manter o animal somente no quintal ou, no máximo, em determinados cômodos da casa, de modo que outros (como o quarto) fiquem livres das partículas que se espalham pelo ar.

Já as faxinas precisam ser constantes, com o reforço do aspirador de pó.

Tratamentos para alergia nos olhos

Além das medidas preventivas citadas acima, existem ações eficazes para as ocasiões em que a alergia nos olhos se manifesta:

  • uma maneira de limpar as partículas alérgenas que alcançam os olhos é com soro fisiológico. Você pode encharcar um pedaço de algodão ou gaze com o líquido, colocando-o sobre as pálpebras, pressionando levemente. Caso não tenha soro fisiológico à disposição, água fria é uma alternativa que funciona;
  • os medicamentos mais comuns em casos de alergia nos olhos são os colírios. Além dos colírios lubrificantes, existem ainda os colírios anti-histamínicos (diminuem a liberação de histamina, que provoca a coceira); colírios de dupla ação (aliviam a coceira e combatem a alergia ao mesmo tempo); e colírios de corticóides (indicados somente para os casos graves);
  • a imunoterapia é uma forma de adaptar o sistema imunológico da pessoa a um determinado alérgeno. Pequenas quantidades das substâncias nocivas são injetadas no organismo, fazendo com que a pessoa se torne menos sensível ao contato. Gradualmente, são usadas dosagens maiores, de forma a estimular a imunidade.

Confie em quem entende do assunto

Antes de tudo, é preciso reforçar que os tratamentos mencionados aqui não substituem uma consulta com o oftalmologista, profissional que pode realmente atestar se o problema em questão é uma alergia nos olhos ou alguma outra enfermidade.

Aliás, consultar-se ao menos uma vez por ano com o oftalmologista é essencial, até mesmo para detectar precocemente outros problemas na visão. O Donato Hospital de Olhos dispõe de profissionais capacitados e estrutura confiável diante de qualquer problema.

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email